sábado, 5 de abril de 2014

ALGODÃO E OUTRAS PLANTAS NO PARTO

Uma das aprendizagens interessantes que tive aqui no Capão foi o do uso das plantas durante o processo de parto. Em outra parte comentei sobre os temperos “nas partes”, mas tem coisas menos pitorescas e mais aplicáveis em outros lugares. Uma das plantas mais interessantes usadas pela comunidade aqui é o algodoeiro.

Antigamente todas as pessoas tinham um pé de algodão em casa, ou sabia dos vizinhos que tinham. Esta planta é extremamente bem considerada pela gente local. A literatura médica fitoterápica diz que esta planta usada em chás ou sumos tem papel significativo no tratamento da asma, das infecções respiratórias, diarreias, dores abdominais. Para os problemas da mulher o algodoeiro é de primeira linha: Contra dismenorreia (dificuldades, incluso dores, na menstruação), metrorragia e menorragia (perdas de sangue fora ou durante a menstruação).
Considera-se que não deve ser usado quando se quer engravidar, pois aumenta a contratilidade uterina dificultando a nidação (fixação) do ovo no útero. No entanto, pode ser usado em mulheres reconhecidamente não férteis e querem engravidar.

Aqui no Vale quando alguém toma uma pancada forte a ponto de provocar dores nas costelas ou em algum membro se usa o sumo das folhas ou em casos de infecção – usos reconhecidos pela literatura.

Sempre gostei do chá desta folha quando a mulher em trabalho de parto apresenta redução das contrações uterinas e encontrei este uso por aqui. O banho de assento bem quente com o chá da folha que também deve ser ingerido é maravilhoso. As contrações logo recomeçam. No entanto, convém só usar após 6cm de dilatação para não forçar o útero.

Após o parto gosto recomendar à mulher lavar a vagina com o chá para impedir infecções já que os taninos nele presentes são antibacterianos e por fim, por serem adstringentes facilitam a cicatrização. Como veem, trata-se de uma planta bem especial.

Outra planta que também era usada, mas que noto está reduzindo seu uso por aqui é o mentrasto. Acabava o parto e a mulher era banhada com esta planta que servia para “afastar tudo de mal”, pois o parto é uma condição mágica, onde muitas energias, algumas bastante primitivas são liberadas e o mentrasto ajuda na “limpeza das energias”. Esta é outra planta bastante considerada na literatura. Serve para um sem número de afecções, mas como era de se esperar, não se menciona na ciência seu uso mágico.

O mal-me-quer-bem-me-quer (calêndula) também pode ser usado para lavar a área genital após o parto e aqui no Capão observei um uso que não conhecia. Algumas mulheres que tudo fizeram para engravidar sem sucesso, ficaram prenhes após o uso do chá desta planta. Fiquei intrigado, pois nos textos científicos são mencionadas suas características antissépticas (contra infecção), inclusive antivirais, entre outros usos, mas nada sobre aumentar a fertilidade feminina. Há que estudar isso.

Temos muito a aprender e descobrir!

Recebam um abraço partejado.

11 comentários:

  1. Maravilhoso o aprendizado com a cultura popular, não? E não apresenta tantos equívocos
    como se propala. Alguns deles foram impostos, como o famoso "manga com leite".
    E há também o caso do amendoim, planta nativa da América do Sul, e cujo nome original
    era 'mendobi'. Os 'sábios doutores das Oropa' deduziram, erradamente, que era parente
    da amêndoa e lhe trocaram o nome, divulgando que o nome popular era "errado".
    O amendoim nada tem a ver com amêndoas, sendo aparentado com a ervilha.
    É triste constatar como a cultura industrial mata a sabedoria popular, adquirida
    em séculos de experiência.
    Por isso não é de causar assombro a ignorância da medicina sobre muitos aspectos
    fitoterápicos, fazem questão de desprezar o conhecimento dessa 'plebe ignara'.
    Abraço com recheio de algodão. .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, ah, ah! abraço com recheio de algodão, gostei dessa.
      Veja que esta tendência a negar o valor do conhecimento popular está inserido num movimento geral de padronização da cultura, evitando as diversidades. Coisa triste e que a largo prazo tende a reduzir a vitalidade social.
      abraço algodoeiro.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oiii bom dia
    Fiz uma esterectomia e gostaria de saber onde posso comprar cha de folha de algodao para uma melhor recuperaçao

    ResponderExcluir
  4. Sera que ajuda mesmo no trabalho de parto

    ResponderExcluir
  5. Olá o banho e só com as folhas do algodão eu,posso toma o chá antes ou depois do banho

    ResponderExcluir
  6. Estou cm 40+2 días estou sentindo contrações frias ou seja fraca, a médica mandou voltar pra casa pra aumentar as contratações, vou tomar banho de algodão pra adiantar

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. To com 40 semanas e 01 dia e sem dor acabei de fazer um banho de asento de algodão.


    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do aprendizado, há 11 anos minha sogra, faz um banho de acento para mim, deu certo. Ajudo muito as contrações .

    ResponderExcluir